13 de out de 2009

*** Poemas e Poesias ***


"Eu agi sempre para dentro... Nunca toquei na vida ... Sempre que esboçava um gesto, acabava-o em sonho, heroicamente... Uma espada pesa mais que a ideia de uma espada... Comandei grandes exércitos - venci grandes batalhas, gozei grandes derrotas- tudo dentro de mim... Gostava de passear sozinho pelas alamedas e pelos grandes corredores e de comandar as árvores e desafiar os retratos das paredes... No grande corredor sombrio que há ao fundo do palácio passei com a minha noiva muitas vezes... Eu nunca tive noiva real... Nunca soube como se amava... Apenas soube como se sonhava amar... Se eu gostava de usar anéis de dama nos meus dedos é que às vezes queria julgar que as minhas mãos eram de princesa e que eu era, pelo menos no gesto das minhas mãos, aquela que eu amava... Um dia foram-me encontrar vestido de rainha... Eu estava sonhando que eu era a minha esposa Régia... Gostava de ver a minha face refletida porque podia sonhar que era a face de outra criatura - porque era de formas femininas, que era de minha amada que era a minha face refletida... Quantas vezes a minha boca, tocou na minha boca nesse espelho! ... Quantas vezes apertei uma das mãos com a outra, quantas adorei meus cabelos com a minha mão alheada para que parecesse dela ao tocar-me. Não sou eu que te estou dizendo isto... É o resto de mim que está falando."


Fernando Pessoa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário